Vinhos Brancos III

Vinhos Brancos III

Brancos Clássicos

Os Brancos Clássicos incorporam uma grande variedade e diversidade de marcas de vinho das regiões vitivinícolas de Portugal, esse estatuto, resulta da tradição e do reconhecimento enquanto marca de referência, são vinhos muito heterogéneos e de enorme diversidade de estilos.

Estes vinhos tinham em si mesmo um elo de ligação, a tecnologia de vinificação, em regra, baseada em princípios tradicionais antigos, porém, a recente modernização de processos de vinificação levadas a cabo pelos produtores tem vindo a romper com este elo de ligação.

Assim, nesta gama de vinhos Brancos Clássicos aparecem, hoje, vinhos com um perfil aromático mais ou menos discreto, lado a lado com vinhos com aromas mais frutados, os primeiros, normalmente, com uma rápida evolução em garrafa, os segundos, sem indícios de oxidação, ou seja, com uma maior longevidade.

Em anos de excecional colheita, em que o teor alcoólico e acidez são elevados, o processo de evolução oxidativa pode ser mais lento, permitindo um envelhecimento mais lento e um aumento da sua complexidade, mesmo em vinhos/marcas de reconhecida menor longevidade de vida.

Vinhos adequados a confeções simples, por exemplo, tapas, joaquinzinhos, calamares, omelete ou tortilhas, ou confeções clássicas, pastéis de bacalhau, empadas, pescadinhas de rabo na boca ou filetes.

Acompanha bem uma tarte de amêndoas ou bolos secos e ainda queijo de cabra fresco.

Poderá encontrar alguns destes vinhos nos nossos  cabazes ou em produtos , visite o nosso site em www.roteirodesabores.pt.